Região adota tecnologia de ponta contra as queimadas

Depois de arcar com prejuízo de R$ 5 milhões com queimadas nas lavouras de cana-de-açúcar em 2017, o grupo Tereos Açúcar & Energia Brasil, detentor da marca Guarani e gestor de quatro usinas da região, investiu em sistema de monitoramento de incêndios que usa 13 satélites, um deles operado pela Nasa.

Ao custo de R$ 1 milhão, a plataforma GMG Ambiental, desenvolvida em Rio Preto, vigia 24 horas por dia os 120 mil hectares de canaviais nas sete unidades no Estado do grupo com o objetivo de detectar focos de incêndios. As usinas ficam em Olímpia, Guaraci, Severínia, Tanabi, Pitangueiras, Colina e Guaíra.

O sistema Orion (sigla para Observed Remote Information from Orbital Navigation) utiliza satélites operados por agências privadas e governamentais. Do espaço, por meio de ondas de calor emitidas, encaminha os alertas para a Central de Controle na unidade industrial Cruz Alta, em Olímpia, e também para uma central em Rio Preto. Com informações sobre a direção do vento e a melhor rota para chegar ao ponto que está em chamas, a central já aciona a equipe de combate a incêndio mais próxima. (Matéria Continua)

(Fonte: Diário da Região, 11/05/2018, https://www.diariodaregiao.com.br/_conteudo/2018/05/cidades/1105995-tecnologia-da-nasa-contra-queimadas.html)

Digite o que você procura