Para especialistas, zerar a Cide terá pouco efeito no preço dos combustíveis

O presidente da consultoria Datagro, Plinio Nastari, disse que mudanças na carga tributária incidente sobre os combustíveis terão efeito paliativo para o consumidor. Segundo ele, zerar a Cide teria um impacto de, no máximo, R$ 0,08 centavos no preço final dos combustíveis. Hoje, a cobrança da Cide é de R$ 0,10 por litro de gasolina e de R$ 0,05 por litro de diesel. "Isso não traria nenhum resultado de curto, médio e longo prazos para o consumidor", disse.

A cobrança de impostos tem um peso de 44% do valor total da gasolina, sendo 2% Cide, 14% PIS/Cofins e 28% de ICMS. No óleo diesel, a incidência tributária é responsável por 27% do preço final do produto. A distribuição é: 1% Cide, 12% Pis/Cofins e 14% ICMS.  Já no etanol, impostos são responsáveis por 26% do preço do produto final, sendo 9% PIS/Cofins e 17% de ICMS.

Apesar de todos os reajustes aplicados nos combustíveis pela Petrobras desde 2016, quando a empresa mudou a política de preços e começou a repassar as variações internacionais, a gasolina ainda está barata no Brasil, disse Nastari.

Segundo dados da Datagro, até a última sexta-feira (18), a gasolina no País estava com uma defasagem de 11,75% em relação ao preço de referência internado - que considera o valor do combustível importado, mais frete, seguro e despesas portuárias. Nessa mesma base, considerando os últimos 30 dias, a defasagem está em 12,61%. (Matéria continua)

(Fonte: Estadão, 21/05/2018, https://economia.estadao.com.br/noticias/geral,para-especialistas-zerar-o-cide-tera-pouco-efeito-no-preco-dos-combustiveis,70002318243)

Digite o que você procura