Empresas de máquinas projetam um ano positivo

Bons resultados da agricultura no ano anterior e indicadores positivos de safra para este ano contribuíram para o retorno do otimismo no setor, especialmente no segmento de máquinas agrícolas, um dos mais impactados quando o cenário para o campo não vai bem. O crescimento de vendas deste ano deve ser 10% superior ao registrado no ano passado, o que significará a consolidação da retomada iniciada ainda em 2017, segundo a avaliação de expositores de máquinas da 25ª Agrishow, que acontece em Ribeirão Preto, São Paulo, até o dia 4 deste mês.

O gerente de vendas da Mahindra, Jalison Cruz, aposta que o segmento deve comercializar o total de 44 mil tratores em todo o País em 2018 - número que levaria ao aporte de 10% previsto. A marca, que conta com fábrica em Dois Irmãos (RS), pretende aproveitar a conjuntura favorável para efetivar algumas metas. "Nosso share de mercado ainda é pequeno, mas queremos ampliá-lo de 2% para 5%", relata Cruz.

A própria Agrishow passou a ser termômetro para essa recuperação. "Nas primeiras 48 horas de feira, tivemos incremento de, justamente, 5% nas vendas", comenta o executivo da Mahindra, ao destacar que 45% dos negócios iniciados na feira são concretizados no local, enquanto parte do restante costuma ter desfecho no prazo de um mês.

A expectativa positiva é acompanhada pelo presidente da AGCO, Luís Fernando Sartini Felli, que confia nas projeções de colheita como impulsionadoras de renovação de frota.

Pela avaliação do presidente do conselho da Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq), João Carlos Marchesan, o aumento da procura por máquinas e equipamentos agrícolas sinaliza um passo importante de uma recuperação sustentável da economia no geral. A manutenção da curva de crescimento, por outro lado, estaria condicionada a reformas estruturais, como a previdenciária.

O presidente da Agrishow e vice-presidente da Associação Brasileira de Agronegócios (Abag), Francisco Maturro, comemora o momento vivido, ao lembrar que a entidade foi criada há 25 anos, para atender a demandas do segmento em uma conjuntura econômica atípica. (Matéria Continua)

(Fonte: Jornal do Comércio, 02/05/2018, http://jcrs.uol.com.br/_conteudo/2018/05/economia/624975-empresas-de-maquinas-projetam-um-ano-positivo.html)

Digite o que você procura