Açúcar: superávit de 7 milhões na safra 2018/19 pressiona cotações

As cotações do açúcar nas bolsas internacionais seguem em ritmo de queda, pressionadas pela estimativa de superávit mundial do produto. Na sexta-feira (13), em Nova York, os contratos para outubro/18 foram firmados em 10.96 centavos de dólar por libra-peso, queda de 12 pontos e, os papéis para março/19, caíram 16 pontos, sendo firmados em 11.68 cts/lb. Os outros contratos caíram entre 12 e 17 pontos.

Em Londres, os contratos futuros para agosto/18 encerraram o dia a US$ 339,10, baixa de 50 cents de dólar. Já na tela outubro/18 a queda foi mais acentuada e os contratos foram firmados em US$ 326,70 a tonelada, queda de 2,30 dólares. Os demais contratos de Londres caíram entre 2,10 e 4,10 dólares.

A FCStone divulgou na sexta-feira que é esperado um excedente de 7 milhões de toneladas de açúcar na safra 2018/19. O primeiro cálculo da consultoria, divulgado em maio, apontava 7,2 milhões de toneladas.

Ainda de acordo com o grupo, a produção do Centro-Sul brasileiro para o ciclo global 2018/19 deve totalizar 29,9 milhões de toneladas, 1,5% abaixo da temporada anterior.

"As expectativas são de que, com um rendimento agrícola menor, usinas tenham que encerrar suas atividades de campo de forma antecipada, transferindo o ônus da estiagem para a safra global de 2018/19. Neste sentido, o envelhecimento dos canaviais, dada as projeções de baixa renovação no ano atual, devem continuar tendo efeitos negativos sobre a produtividade das lavouras canavieiras da região também na colheita de 2019", explica o analista de mercado da INTL FCStone, João Paulo Botelho.

Mercado doméstico - No mercador interno, a saca de 50 kg do açúcar cristal foi negociada na sexta-feira a R$ 55,33, queda de 0,56% perante o dia anterior, de acordo com o indicador Cepea/Esalq, da USP.

(Fonte: Agência Udop de Notícias, 16/07/2018, http://www.udop.com.br/index.php?item=noticias&cod=1168277)

Digite o que você procura